Pages

sábado, 5 de setembro de 2009

Passando por aqui

Sempre gostei muito de escrever. Já mantive diários, que nos meus 10 anos eram perfumados e coloridos , graças as canetas Bic cheirosas, febre nos anos 90. Eram rabiscados com corações e iniciais, que entregavam o primeiro amor. Lembro do pequeno cadeado e da chave sempre pendurada no pescoço, chave esta que guardada os doces e mágicos segredos infantis. Pouca coisa que eu já tenha passado e vivido me escapa da memória. Muito pouco mesmo. Acontece que se quiser relembrar, dar umas boas risadas da velha Carol ou até mesmo perceber como hoje problemas passados parecem tão bobos basta que os pegue no armário, dentro de uma grande caixa, talvez um dos meus maiores tesouros. Na verdade, encontro também alguns trabalhinhos desde a época em que estava na pré escola, cartões que fazia para mamãe com meu português ainda errado, cartas que recebi de amigos, lembranças de momentos importantes registrados em fotos, rabiscos e rascunhos de um passado sempre ao meu alcance.


Até os 22 anos consegui registrar cada dia especial, cada saudade, cada lágrima, cada sonho, cada nova paixão avassaladora da adolescência nas linhas de um diário amigo. Então, assim do nada mesmo, parei. São seis anos sem registros documentados em seus detalhes, salvos apenas aqui comigo. Sei lá, se algum dia algum bom samaritano se propusesse a me entender mais a fundo teria que recorrer a boa memória dessa pessoa que vos escreve, pelo menos para esta meia dúzia de anos . Sabe aqueles ciclos que se encerram, geralmente virando nossa vida de pernas pro ar, para então encararmos uma nova jornada? 2008 foi O ANO. Daí voltei a escrever, só que agora não mais como nos tempos passados, com todo aquele gás ou seguindo o cronograma do tempo, mas sim misturando velhas lembranças, trocando experiências ou simplesmente desabafando. O que mais me motivava era isso: botar para fora.



Foi muito bom voltar a escrever. Agora pergunto: como pode no calor do entusiasmo escrevermos tanto? Sempre com idéias fresquinhas e lembranças pipocando na cabeça e, de repente, cadê a inspiração? Admiro muito quem consegue manter um blog diário, quase que religiosamente. Falta de tempo nunca foi meu problema. Até por que se olhar para trás, há quase um ano que o Faça uma Lista existe e minha rotina vida x trabalho não mudou muito. O que mudou, e sempre muda desde que fui ficando mais velha, é o quesito empolgação. Não sei vocês, mas comigo basta só passar a maré da novidade e já baixa aquela preguiça, uma desmotivação. Encaro isso com naturalidade, já que não dá para ser 100% o tempo todo. As vezes, mesmo sem querer, acabo dando uma puxada no freio de mão. No blog ia empurrando com a barriga, deixando sempre para depois, isso quando não recorria aquele texto “enche linguiça”, que encontrei sabe-se lá onde, apenas para não dizer que mais um dia passou em branco. Acho que essa fase de dar uma brecada baixou por aqui...



Até tenho bastante coisa para contar. Se tem uma coisa que não posso é me queixar da vida. Mas e agora, José? Como já dizia vovó. Ando com uma vontade de estar em mil lugares ao mesmo tempo e ficar na frente do computador está bem no final da lista. Quem já passou por aqui já conheceu um bocado da minha história, através dos meus relatos, portanto digo: isso é muito bom. Tem um mundão lá fora esperando por mim. Tenho uma casa aconchegante, grande culpada por eu ser este ser tão caseiro. A melhor família do mundo é a minha (mãe a mana), sempre me apoiando com o amor mais incondicional que existe. Tenho poucos amigos, mas são presentes e constantes em minha vida. Meu trabalho é um sonho que já treinava na infância, quando brincava de “profe” com minhas bonecas. E como já dizia minha amiga íntima Claudinha:



“Eu ando muito a fim de experimentar
Meter o pé na jaca sem ter que me preocupar
Eu quero mais mais mais mais...
Eu quero mais é beijar na boca
e ser feliz daqui pra frente...pra sempre”



Portanto, sei que fiz bons amigos através do blog e sei que vão me compreender. Assim que der eu volto. O bom disso tudo é que pode ser amanhã mesmo. Vai entender, não é? Adoro isso aqui e gosto muitão de todos aí da lista. Para quem for novo no pedaço e vir parar logo aqui, sejam bem vindos sempre. Um beijo grande e muita paz pra todos nós.



Caroline

3 comentários:

Afrodite disse...

Nem sempre é fácil ter inspiração pra escrever,e ter um blog não é sinônimo de obrigação mas sim prazer!
Quando tiver novidades ou inspiração saiba que estarei aqui pra te ler!É sempre uma delícia partilhar de pensamentos com amigos!E sinto vc assim:uma amiga íntima!
beijos
Afrodite

Fernanda Magalhães disse...

Faço minhas as palavras da Afrodite.

Fiquei super feliz de te ver hoje la no nosso Brisa Feliz, muito feliz mesmo!

Bjos de luz e seja bem vinda de volta!

Mahria disse...

Pois é linda. comecei a te ler quando ainda nem tinha blog, acho q através do blog do Olavo, antigo, "Dúvidas e Certezas...". Daí parei no post "O q te levas a pensar q és melhor q eu?" Pq vc parou, houve continuação, daqle post, fiquei curiosa? rs

Bjinhos
Mah

PS
Obrigado pela visita e comentário ta?

Tem mais alguém aqui?